Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A aquicultura está em alta no Amapá. Saiu dos tanques dos aquicultores boa parte dos peixes vendidos este ano nas feiras. Desde de segunda-feira, 21,  o peixe pode ser encontrado a preços que variam de R$ 5 a R$ 12, dependendo da espécie. Muitos peixes são vendidos ainda vivos.

A iniciativa é da Secretaria de Pesca do Amapá (Pescap) que todos os anos, em parceria com produtores do Estado, oferece peixes com preços subsidiados. 

Michel Ferreira: na brasa. Fotos: André Silva

Michel Ferreira: na brasa. Fotos: André Silva

O vidraceiro Michel Ferreira, morador do Bairro Pacoval, Zona Norte de Macapá, onde fica um dos quatro pontos de vendas, conta que comer peixe já é tradição que passou de pai para filhos.

“Lá em casa é peixe a semana inteira. Isso vem desde  meus pais e eu passei para meus filhos. Agora são eles quem nos ajudam comprar. Esse aqui eu vou fazer assado na brasa”, disse.

Alguns produtores usam a genética para proporcionar aos clientes um produto diferenciado tanto no volume de carne e sabor.

Pontos de venda em quatro bairros

Pontos de venda em quatro bairros

Funcionários limpam os peixes vendidos

Funcionários tratam os peixes vendidos

“Nossa criação fica aqui na Fazendinha e nós temos 18 hectares só de produção de peixes. Nós já utilizamos a soja que é produzida aqui no estado e consegui reduzir em 60% o nosso custo com ração. Nessa Semana Santa nós iremos colocar mais de 18 toneladas. O tambaqui é um peixe comum da Amazônia, mas existem outras espécies e nós aproveitamos e fazemos a mistura de algumas. Por exemplo, misturamos o tambaqui com a pirapitinga e deu o tambatinga. Com isso a espécie quando cresce oferece mais carne e um sabor diferenciado”, explicou o criador Paulo Melém.

Variedade e mistura de espécies

Variedade e mistura de espécies

Os peixes que estão sendo comercializados pela Pescap e podem ser encontrados em quatro pontos: na entrada do Infraero II, feira do Buritizal, feira do Pacoval em frente a feira, e na Fazendinha.

Compartilhamentos