Compartilhamentos

SELES NAFES

Apenas os servidores efetivos do Estado deverão receber a 1ª primeira parcela do 13º salário este ano se o pagamento for confirmado como espera o secretário de Fazenda do Amapá, Josenildo Abrantes. Tudo depende de arrecadação.

Segundo ele, não haverá caixa suficiente para pagar comissionados e contratos administrativos, que deverão receber em única parcela até o dia 20 de dezembro, final do prazo previsto em legislação. 

“Na verdade a legislação não determina que o Estado pague a primeira parcela em julho, mas aqui no Amapá isso virou uma cultura”, comentou Abrantes.

Ainda não é possível precisar de quanto será o percentual a ser repassado ao servidor. São sempre 50%, mas há a possibilidade de a primeira parcela ficar entre 35% ou 40%, vai depender de arrecadação.

“Até a semana que vem teremos uma definição sobre isso”.

Carência

Mas no meio dessa crise pode surgir uma boa notícia, finalmente. Os governadores, entre eles Waldez Góes (PDT), estão desde cedo reunidos com a equipe econômica do presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), em Brasília.

Os governadores querem a suspensão dos pagamentos das dívidas dos estados  por dois anos, mas essa carência deverá ficar em 1 ano. 

“Se isso ocorrer teremos uma folga no caixa de R$ 20 milhões por mês, o suficiente para voltar a pagar o servidor no dia 30 e pagar o décimo”, concluiu o secretário. 

Compartilhamentos