Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os devotos de São Tiago terão que esperar um pouco mais para chegar a Mazagão, distante 32 quilômetros de Macapá, utilizando a ponte que está sendo construída sobre o Rio Matapi. É que a previsão para o término da obra, que já está atrasada, é só setembro, segundo informou a Secretaria de Transportes do Amapá (Setrap).

A Festa de São Tiago, padroeiro do município de Mazagão, acontece todos os anos no mês de julho. A expectativa era de que este ano os devotos não precisariam mais de balsa para chegar à festa que acontece em Mazagão Velho.

Cabeceira da ponte. Fotos: André Silva

Trabalhos se concentram na conclusão dos acessos à ponte. Fotos: André Silva

A ponte está pronta. Os trabalhos se concentram na conclusão dos acessos dos dois lados. Os serviços de terraplanagem estão em andamento, o asfaltamento desses acessos e a sinalização da ponte também. A estrutura tem mais de 600 metros de comprimento e 25 metros de altura, custando R$ 106 milhões.

As obras foram paralisadas em 2014 por falta de pagamento à empresa CR Almeida que totalizavam R$ 25,3 milhões. O valor foi quitado em 2015, podendo assim a obra ser retomada. Por questões climáticas, mais uma vez a obra teve que ser interrompida, alegou o Governo.

ponte 3

Estrada recebe serviço de terraplanagem antes de camada asfáltica

A diarista Maria do Socorro, de 53 anos, faz o trecho Mazagão Novo/Santana pelo menos três vezes por semana. Parte da viagem é feita pela balsa. Ela aguarda ansiosa pela inauguração da obra.

“Eu acordo todos os dias muito cedo para chegar no serviço sem me atrasar. Às vezes a balsa dá problema e acabo chegando tarde. Eu acho que quando essa ponte estiver funcionando o tempo de viagem será bem menor”, arrisca dona Maria.

ponte 2

Ponte tem mais de 600 metros de comprimento e 25 metros de altura, custando R$ 106 milhões

A Setrap informou que mesmo com as interrupções no andamento da obra, o cronograma está dentro do prazo firmado com a empresa. Informou ainda que a conclusão da terraplanagem no acesso principal e pavimentação asfáltica dos acessos e das alças viárias são as demandas que ainda restam, além de uma rotatória que será construída para dar maior fluidez ao trânsito.

A ponte sobre o Rio Matapi faz parte de um conjunto de obras do Plano Rodoviário do Amapá e foi iniciada em 2013. Fazem parte do consórcio a CR Almeida, Egesa e LB Construções.

Compartilhamentos