Compartilhamentos

SELES NAFES

Os integrantes da banda Legião Urbana chegaram na madrugada desta sexta-feira, 22, em Macapá, para mais um show do projeto ‘Legião Urbana, 30 anos’. A banda sobe ao palco logo mais no Ceta Ecotel, em Fazendinha.

Os portões no local do show serão abertos às 21h. A programação que antecede o show inclui apresentação dos DJs John Silva, Alan Cristopher e um pequeno show acústico. Até o início desta manhã a organização informava que quase todos os ingressos já haviam sido vendidos.

O projeto Legião Urbana 30 anos nasceu de uma ideia da gravadora EMI de lançar uma edição especial que comemorasse as três décadas do primeiro disco do grupo. O trabalho de pesquisa, com fitas e fotos antigas, acabou despertando em Dado e Bonfá o desejo de tocar juntos de novo, desta vez com amigos convidados.

Na foto com a equipe da Rede Amazônica em entrevista no hotel onde os músicos estão hospedados

Na foto com a equipe da Rede Amazônica em entrevista no hotel onde os músicos estão hospedados. Foto: Redes Sociais

Os músicos, no entanto, deixam claro que a Legião como todos conheciam acabou com a morte de Renato Russo, em 1996. O baterista Marcelo Bonfá é enfático ao afirmar que não existe possibilidade de retorno da Legião Urbana. O vocal nesta turnê é executado com competência pelo cantor e ator André Frateschi.

Além de levar o show às principais capitais, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá decidiram levar o projeto para cidades que nunca haviam recebido um show do grupo, como é o caso de Macapá. 

“A Legião Urbana tem fãs espalhados por todo o Brasil. Depois dos shows, era comum eu ficar por ali para conhecer melhor a região. Mas aí os espaços foram ficando pequenos para a gente tocar, mesmo nas capitais. Nesta turnê adoraríamos tocar nas capitais, mas também em cidades onde nunca chegamos com a banda”, justifica o baterista. 

O show de hoje será dividido em duas etapas. As músicas do primeiro disco serão tocadas na ordem original, e depois a banda tocará alguns clássicos.

Acompanham Dado e Bonfá no palco: na segunda guitarra Lucas Vasconcellos (Letuce), no baixo Mauro Berman (Cabeza de Panda e Marcelo D2) e nos teclados Roberto Pollo (Cirque du Soleil).

Compartilhamentos