Compartilhamentos

REDAÇÃO

Comerciantes e moradores da Rua Álvaro Carvalho, no Bairro Novo Horizonte, Zona Norte de Macapá, resolveram bloquear  a via usando restos de móveis, galhos, anilha e pedaços de madeira. O protesto é por causa da obra de drenagem da rua parada há quase dois meses.

Poeira invade lojas e compromete mercadorias. Fotos: André Silva

Poeira invade lojas e compromete mercadorias. Fotos: Leonardo Melo

A rua é referência no ramo de móveis usados em Macapá. São mais de 30 lojas especializadas na venda desses produtos. Os empreendedores dizem que desde que as obras começaram as vendas só caíram e a quantidade de poeira só aumentou. Eles dizem que não sabem quem começou o bloqueio.

“O prejuízo da pra ser notado. Não só pra nós que trabalhamos com móveis usados, mas para os moradores. Eu não sei por que eles mexeram aqui próximo das eleições devem estar querendo beneficiar alguém. Os empresários estão sendo prejudicados. As vendas têm caído muito”, protestou a empresária Oseane Noronha de 37 anos.

indice-d

Oseane Noronha. Vendas tem caído muito

Mas não são apenas comerciantes de móveis usados que são prejudicados. O vendedor de bolo no pote  Álvaro da Silva de 25 anos, disse que seus maiores são empresários.

“Devido essa obra, o movimento de carro parou com a venda de móveis, e eu dependo deles. Se eles venderem eu também ganho. Já vamos para dois meses que essa obra está aí e eles vão deixar chegar o inverno pra dizer que não poderão executar a obra por causa da chuva, aí vem a lama e termina tudo”, queixou-se o vendedor.

indicek

Álvaro da Silva. Venda em bolo do pote depende do bom faturamento dos comerciantes

“O movimento parou muito. Depois que fizeram esse buraco e aterraram não apareceram mais. A poeira está prejudicando os negócios, principalmente pra gente que  trabalha com móveis usados”, protestou a empresária Ilda Ferreira de 29 anos.

indice

Ilda Ferreira: Obra parada e poeira atrapalham e muito o negócio de novos e usados

A obra

Trata-se de uma obra de drenagem da água da chuva que começou no início de março e, segundo a Secretaria de Transportes do Estado (Setrap), existe a expectativa que ela recomece em outubro.

“Estávamos aguardando o BNDES realizar a liberação do recurso para poder retomarmos ao trabalho. Essa liberação depende da análise do projeto executivo realizado pela empresa responsável e encaminhado à sede do BNDES pela própria Setrap”, informou a secretaria.

Setrap afirma que obras serão retomadas em outubro.

Setrap afirma que obras serão retomadas em outubro.

Compartilhamentos