Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Até às 14h deste domingo, 2, a Polícia Civil e o Ministério Público Eleitoral (MPE) já havia conduzido 10 pessoas suspeitas de crime eleitoral ao Ginásio Poliesportivo do município de Santana, distante 17 km da capital. Elas ficaram retidas até às 10h, quando problemas técnicos no computador foram resolvidos.

Ao todo, oito pessoas foram detidas por transporte de eleitores, uma por boca de urna e outra por porte de arma de fogo. Os suspeitos foram denunciados através de denúncias anônimas para o MPE. Segundo o delegado da Polícia Civil, Jurandir Bentes, problemas no computador atrapalharam a emissão de termos e acesso ao site da justiça.

Delegado da Polícia Civil, Jurandir Bentes. Denúncias seguirão sendo investigadas. Fotos: Cássia Lima

Delegado da Polícia Civil, Jurandir Bentes. Investigações continuam. Fotos: Cássia Lima

“O computador apresentou uma pane e não pudemos fazer análises dos suspeitos apresentados pelo Ministério Público. Fizemos análise jurídica, mas ainda não comprovamos as denúncias. Por isso, eles foram liberados. Mas vamos apurar mais”, explicou Bentes.

Um técnico do Tribunal de Justiça do Amapá (TRE) foi à Santana e consertou a máquina, que já está funcionando normalmente. Para o delegado, a estimativa é que não ocorram denúncias graves até o fim do pleito.

Problemas no computador atrapalharam a emissão de termos e acesso ao site da justiça

Problemas no computador atrapalharam a emissão de termos e acesso ao site da justiça

‘Historicamente, essas situações ocorrem pela manhã. Agora na reta final das eleições, consideramos um pleito tranquilo. Acreditamos que mesmo com um assédio de certos candidatos, os eleitores estão tendo mais consciência do seu voto”, frisou o delegado.

Compartilhamentos