Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um casal foi preso acusado de usar um bebê recém-nascido para mascarar a venda de drogas no Centro de Macapá. Depois de encontrar os entorpecentes na bolsa da criança, na noite desta terça-feira, 18, os policiais conduziram os pais para o Ciosp do Pacoval.

O flagrante ocorreu na histórica Praça Veiga Cabral, local onde nasceu a cidade de Macapá, no coração do centro comercial da capital. Nos últimos dias a Polícia Militar tem procurado intensificar  o patrulhamento na região justamente por conta do tráfico de drogas.

Material estava dentro da bolsa com produtos de bebê. Fotos: Olho de Boto

Material estava dentro da bolsa com produtos de bebê. Fotos: Olho de Boto

Por volta das 20h, policiais avistaram na praça um homem que já tinha passagens pela polícia por venda de entorpecentes. Com ele, havia um casal e uma criança aparentando poucos meses de vida.  

Com a aproximação, os policiais perceberam que o marido ficou nervoso.

“Devido a essa suspeita fizemos a abordagem do marido e da esposa. Quando foi indagado a ela sobre o que tinha dentro da bolsa, ela tirou apenas os pertences da criança. O policial fez a averiguação na bolsa e encontrou dentro uma quantidade de entorpecentes. Ela era conivente. Sabia que tinha o produto dentro da bolsa”, relatou o sargento Europa, do 6º Batalhão da Polícia Militar.

A esposa com o filho de 2 meses: apenas o marido foi indiciado

A esposa com o filho de 2 meses: apenas o marido foi indiciado

Além do ursinho de pelúcia, talco, fraldas e outros produtos para bebê, a bolsa tinha 7 porções de maconha em papel alumínio e uma porção envolvida em plástico.

A PM acha que o marido estava usando a esposa o filho para não chamar a atenção.

“Ele disse que tem dois filhos e estava desempregado”, comentou o sargento.

“Hoje em dia a criminalidade usa da esperteza para tentar desviar a atenção da atividade policial. Mas algumas características dos suspeitos, como o nervosismo, nos levam a encontrar esses crimes”, acrescentou.

8 porções de maconha foi apreendidos

8 porções de maconha foi apreendidos

O casal foi apresentado no Ciosp do Pacoval por tráfico e infração ao Estatuto da Criança e do Adolescente, por submeter a criança, de apenas dois meses, à situação de vexame e constrangimento.

Depois dos depoimentos, o delegado Leandro Totino lavrou um termo circunstanciado, e entendeu que apenas o marido, Richarle da Silva Castro, de 18 anos, deveria responder por tráfico.

O casal foi liberado, mas uma audiência na Justiça foi marcada para decidir o destino dele.

Compartilhamentos