Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O administrador do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, disse nesta quinta-feira, 12, que vê somarem-se os valores necessários para a construção das unidades avançadas da instituição em solo amapaense.

Além da liberação de R$ 1,9 milhão de emenda da deputada federal Marcivânia Flexa (PC do B-AP), o hospital receberá mais R$ 5,8 milhões de emenda do deputado federal Marcos Reátegui (PSD-AP). No total, a obra vai custar R$ 21 milhões, valor que foi dividido entre as emendas dos deputados e senadores do Amapá.

A maior contribuição individual de um parlamentar amapaense coube a Marcos Reátegui, que coordenou a bancada federal ao longo de 2015, e também foi o principal articulador da instalação de Barretos no Amapá, instituição especializada em prevenção, diagnóstico e tratamento de câncer.

Em 2016, Reátegui, que também é delegado da Polícia Federal, alocou R$ 3,7 milhões para a construção do hospital, além de outros R$ 2,1 milhões que já estão previstos no orçamento de 2017.

O deputado foi o principal articulador da instalação do hospital no AP. Foto: Divulgação

O deputado foi o principal articulador da instalação do hospital no AP. Foto: Divulgação

Ainda falta ao governo do Amapá disponibilizar o terreno em que será erguida a obra, que colocará um fim na necessidade de tratamento fora do estado.

Os dois anos de idas e vindas a Barretos e a luta desenvolvida na condição de coordenador da Bancada Federal em Brasília serão recompensados. A entrega do terreno para o Hospital de Câncer de Barretos possibilitará o início da obra que é a realização de um sonho para mim e para os amapaenses, vítimas potenciais e efetivas do câncer. Com o HC Barretos, nossa gente passará a ter condições de lutar e vencer essa terrível doença aqui em nossa terra”, avalia.

O governo do Estado ainda não se pronunciou sobre onde o hospital será construído. 

Compartilhamentos