Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) diz que o lixo acumulado no entorno da Cidade do Samba, na zona sul de Macapá, é responsabilidade da prefeitura. A entidade, que responde pelas agremiações do carnaval, pretende encaminhar documento para a prefeitura e discutir o assunto com as escolas de samba.

Na quinta-feira, 16, a Liesap foi multada em R$ 1,5 mil por acumular restos de materiais provenientes de carnavais passados. O entulho das escolas de samba e o material de lixeiras viciadas no local resultou em 80 toneladas de lixo retirados pela Secretaria de Manutenção Urbanística de Macapá (Semur).

Cidade do Samba: responsabilidade de cada escola. Foto: Cássia Lima

Cidade do Samba: responsabilidade de cada escola. Foto: Cássia Lima

“A responsabilidade pela conservação e uso é das escolas, mas o entorno é da prefeitura. Ali há um descaso porque tem várias lixeiras viciadas da população. A liga vai comunicar formalmente a prefeitura sobre responsabilidade do lixo”, frisou o presidente da Liesap, Vicente Cruz.

O presidente adiantou que também vai reunir com a direção das escolas de samba para que os restos de materiais do carnaval não sejam descartados no entorno da Cidade do Samba.

Garis limpam nesta sexta-feira, 17

Garis limpando o local nesta sexta-feira, 17

Atualmente, cada barracão, dos cinco da Cidade do Samba, é dividido por duas agremiações carnavalescas e muitas vezes, as estruturas de ferro dos carros maiores são deixadas ao lado do barracão, como o portal SELESNAFES.COM constatou nesta manhã.

Por outro lado, a Semur informou à reportagem que até as 14hs desta sexta-feira, 17, não recebeu nenhum documento da Liesap.

A secretaria informou que continua fazendo a limpeza do local e que a fiscalização da Semur tem trabalhado monitorando as lixeiras viciadas.

Compartilhamentos