Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Unimed Macapá informou na tarde desta segunda-feira, 6, que já está cumprindo a decisão liminar em favor de um casal do Amapá que ingressou na Justiça para ter o pré-natal garantido pela cooperativa. No entanto, adiantou que o acompanhamento não será feito pelo médico particular contratado pela família.

O obstetra foi escolhido pela família quando o casal não estava encontrando nos consultórios conveniados da Unimed um profissional para fazer o acompanhamento da gravidez que é considerada de alto risco. O casal vem pagando R$ 300 por consulta.

“Já marcamos a consulta dela com o obstetra conveniado, com nutricionista e com um psicólogo, mas não temos mastologista na nossa rede conveniada, assim como ultrassonografia morfológica e transvaginal. Nesse caso, como é Unimed de intercâmbio, não somos obrigados a custear o tratamento dela, que terá que informar à Unimed de origem (Pará) para ter o reembolso”, explicou a assessora jurídica da Unimed Macapá, Elen Monteiro.

Neste fim de semana, o juiz Mário Eusébio Mazureck, concedeu liminar numa ação de obrigação de fazer movida pelo casal que adquiriu o plano de abrangência nacional no Sul do Pará. A liminar é para que a Unimed cumpra imediatamente o serviço de pré-natal e fornecimento de um guia médico atualizado.

“A usuária tem que usar a rede credenciada da Unimed da cidade onde ela está. A nossa rede neste momento tem indisponibilidade de algumas especialidades. Neste caso a Unimed de origem tem que garantir pagando particular ou ressarcindo”, acrescentou a assessora jurídica.

O drama do casal ilustra a situação de outros usuários da Unimed Macapá que ainda não migraram para outros planos. A Agência Nacional de Saúde decretou a alienação da carteira iniciando o fim do registro da cooperativa como operadora de planos.

Na prática, isso não significa que a Unimed vai fechar em Macapá. A administração do hospital e laboratórios vai continuar com um gerenciamento local, mas a Unimed passa a ser administrada pela Federação de Unimeds da Amazônia (Fama). 

“Muitos beneficiários já passaram para a Unimed Fama, mas 1.045 continuam na Unimed Macapá que aguarda a definição da ANS sobre o destino desses beneficiários que continuam sendo assistidos. Quando não há o profissional, a Unimed faz o reembolso das despesas em 30 dias”, garantiu Elen Monteiro.  

Compartilhamentos