Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Os senadores Randolfe Rodrigues (REDE) e Davi Alcolumbre (DEM) parabenizaram o governador Waldez Góes (PDT) pelo acordo firmado com o Exército e o Dnit para o asfaltamento do trecho Sul da BR-156. Eles lembraram que o acordo nasceu de articulações iniciadas ainda em 2015, quando se cogitou pela primeira vez que o Exército e o Dnit assumissem parte da obra.  

O acordo foi fechado na última quarta-feira, 8, entre o governador Waldez Góes e o Departamento de Engenharia e Construção do Exército, em Brasília. Pelo acordo, os militares vão assumir o primeiro lote saindo de Laranjal do Jari. O Dnit ficará com os dois lotes seguintes e o governo do Estado com a última etapa, de 60 quilômetros, já no entroncamento com a BR-210, próximo de Macapá.

A obra da BR-156 já tem 70 anos e é a mais antiga em curso no Brasil. A rodovia é considerada a coluna vertebral do Amapá, unindo Oiapoque à região do Jari. Faltam ser pavimentados 112 quilômetros no trecho Norte, em Macapá, e 244 quilômetros no trecho Sul, na região do Jari.

davi 1

Abril de 2016: No comando do Exército, senador Davi discute a BR-156. Foto: Arquivo

O senador Randolfe Rodrigues iniciou as primeiras articulações ainda no início do mandato, em 2012. No dia 1º de março, o senador e a bancada federal foram recebidos pelo então ministro dos transportes, Paulo Sérgio Passos.

Na época, havia a previsão de conclusão do trecho norte ainda no verão de 2013, mas a obra ficou parada. No dia 29 de janeiro de 2015, o senador Randolfe e o então deputado federal Davi Alcolumbre estiveram com o então ministro da Defesa, Jaques Wagner.

Em 11 de junho de 2015, foi a primeira vez em que se discutiu a entrada do Exército como alternativa para a conclusão da obra, mas o acordo acabou não se concretizando.

WhatsApp Image 2017-03-09 at 18.41.38

Randolfe Rodrigues também no comando do Exército reforça interesse do AP

Em 2015, mesmo com quase R$ 35 milhões em conta, inclusive com emendas da bancada, a obra não andou. O governo do Estado, em 2013, havia delegado as obras ao governo federal.

No dia 1º de setembro do mesmo ano, uma grande delegação do Amapá formada pelos dois senadores, vereadores de Oiapoque, Laranjal e Vitória do Jari, se encontrou com o então ministro dos transportes, Antônio Carlos Rodrigues. Na ocasião, os congressistas pediram que o Dnit assumisse a obra.

No dia 28 de abril de 2016, Randolfe e Davi voltaram a se reunir com o comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Boas, que afirmou não haver nada que impedisse o comando de assumir a obra, para isso, porém, o Estado do Amapá deveria, formalmente, ceder a execução dos serviços para o Exército.

Encontro foi articulado pelo senador Randolfe Rodrigues

Randolfe Rodrigues chegou a pedir uma auditagem nos contratos da BR. Foto: Arquivo/SELESNAFES

Quase um ano antes, Randolfe chegou a pedir uma auditagem nos contratos da BR-156 ao ser informado pelo Dnit que a obra havia recebido mais de R$ 112 milhões em 10 anos. 

“Parabenizo o governador Waldez por levantar essa bandeira, a qual defendemos há muito tempo. Com a ajuda do senador Davi, fomos a várias reuniões e dialogamos diversas vezes com o Dnit e Exército. O povo da região sul do Amapá já sofreu demais com os atoleiros e erosões frutos do abandono da BR-156, assim como a população de Oiapoque. Precisamos”, comentou Randolfe Rodrigues nesta quinta-feira, 9.

“Nós levamos a questão ao Exército e ao Dnit por diversas vezes para que o Exército finaliza a obra, e fico feliz em saber que o governo está fazendo a sua parte”, concluiu Davi Alcolumbre.

Davi com o prefeito Márcio Serrão, de Laranjal do Jari, no Departamento de Engenharia do Exército

Davi com o prefeito Márcio Serrão, de Laranjal do Jari, no Departamento de Engenharia do Exército

Compartilhamentos