Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O Núcleo de Operações e Inteligência (NOI) da Polícia Civil do Amapá já tem a identidade da mulher encontrada morta num ramal da Rodovia Duca Serra, na zona oeste de Macapá, nesta segunda-feira, 3. A polícia acredita que ela foi forçada a descer de um carro e se ajoelhar antes de receber um tiro na nuca.

Maria Benedita Gomes Passarinho, de 40 anos, morava na área de pontes da Avenida Ivaldo Veras, no Bairro Universidade, zona sul de Macapá.

Parentes da vítima identificaram o corpo, e informaram à polícia que ela costumava sair de casa sem avisar para onde iria e com quem estaria.

Maria Benedita tinha 40 anos, e foi obrigada a se ajoelhar antes de morrer

Maria Benedita tinha 40 anos, e foi obrigada a se ajoelhar antes de morrer

No domingo, 2, ela saiu de casa por volta das 22h, e foi encontrada morta e seminua no início da manhã. Os sapatos não estavam sujos com a lama do lugar, o que reforça a tese de que ela foi levada em um carro até o local.

A equipe do NOI acredita que ela tenha sido estuprada, apesar do exame pericial ainda não ter ficado pronto.

Os investigadores se encontraram agora na identificação dos autores. Maria Benedita estava sem telefone celular, mas, por meio da quebra de sigilo do número dela, será possível descobrir as últimas ligações feitas e recebidas.

Os policiais foram até uma transportadora que funciona perto do local do crime atrás de imagens de câmeras de seguranças, mas elas não filmaram o carro.

Entretanto, o NOI já tem a identificação da placa de um carro usado em outro caso de estupro. Existe a possibilidade de que sejam os mesmos criminosos.

Compartilhamentos