Compartilhamentos

ANDRE SILVA

Aumentou em 6% de janeiro a setembro de 2017 o número de acidentes fatais com vítimas no Amapá, na comparação com o mesmo período do ano passado. Desse índice, 17% correspondem a ciclistas.

Os dados são do Observatório do Trânsito do Amapá, órgão que coordena a Semana Nacional do Trânsito, que acontece de 18 a 25 de setembro, e traz o tema ‘Minha escolha faz a diferença no trânsito’.

De acordo com o estudo, até setembro deste ano, 70 pessoas morreram no trânsito, 90% do sexo masculino. Em 2016 inteiro, foram 95 mortes.

Blitz são realizadas para conter acidentes de trânsito. Fotos: André Silva 

Os números são considerados altos para o Amapá em relação aos demais estados brasileiros, segundo o observatório, criado com o objetivo de monitorar e conscientizar a população para a redução de acidentes de trânsito.

A campanha é mundial e visa a redução de mortes no trânsito. Criada em 2011, a ação segue até 2020, esse período é denominado a Década Mundial de Ações Para a Segurança do Trânsito.

O desrespeito às leis de trânsito e o abuso no limite de velocidade continuam sendo os principais fatores que causam os acidentes e mortes no trânsito no estado e no país. De 2011 a 2016, os números apresentaram acentuadas quedas.

Ângela Vaz, coordenadora estadual do observatório (à esquerda), diz que taxas são altas

“A taxa para o número da população do nosso estado é alta, pois calculamos por 100 mil habitantes, e quando comparamos com outros estados e com a taxa nacional fica muito próximo com as dos estados mais populosos. Em número absoluto, pode parecer pouco, mas quando apresentamos por taxa fica muito preocupante”, falou Ângela Vaz, coordenadora estadual do observatório.

A programação da Semana Nacional do Trânsito conta com blitze educativas em pontos estratégicos da cidade, principalmente para chamar a atenção para o grande número de mortes de ciclistas no estado.  

 

Compartilhamentos