Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A cidade de Amapá foi escolhida para sediar o polo universitário estadual que vai abranger as cidades de Pracuúba, Tartarugalzinho e Calçoene, além de Amapá, ao norte do estado. Para a região, conhecida como Região dos Lagos, serão ofertados cursos de matemática e agronomia da Universidade Estadual do Amapá (Ueap).

Inicialmente, serão ofertadas para o ano letivo de 2018, 150 vagas de graduação, 50 para matemática, 50 para engenharia de pesca e o restante para agronomia. Além da graduação, serão ofertadas vagas para pós-graduação, nas modalidades presencial, semipresencial e à distância.

A assinatura do Termo de Cooperação Técnica (TCT), que vai possibilitar a implantação do polo na Escola Estadual Vidal de Negreiros, na cidade de Amapá, ocorreu no dia do aniversário de 116 anos do município, no domingo (22).

“A Região dos Lagos tem uma população de mais de 30 mil moradores. O polo universitário é uma antiga reivindicação dos moradores da Região dos Lagos. Agora, os jovens que optarem por matemática, engenharia de pesca ou agronomia não precisarão mais ir até a capital do estado para ingressar em um curso superior”, falou o governador Waldez Góes, no ato da assinatura que aconteceu na Câmara de Vereadores.

De acordo com o governo, ainda neste ano, devem ser implantados cursos de formação continuada com duração de quatro meses, nas áreas de letras e engenharias química, de pesca, florestal, ambiental e de produção. A previsão é de 300 vagas iniciais.

“Um polo mais perto da comunidade é importante porque nem todos têm condições financeiras para se manter longe de casa. E tenho certeza que o curso de agronomia vai potencializar a nossa capacidade produtiva na pecuária, pesca e agricultura”, avaliou o prefeito Carlos Sampaio.

Estrutura

A estrutura do polo prevê laboratório de informática, de matemática, setor administrativo e salas de aula. Os investimentos são da ordem de R$ 280 mil. Outros R$ 220 mil serão aplicados na troca de telhado, forro, substituição de portas e janelas da escola onde vai funcionar o polo.

De acordo com o Termo de Cooperação Técnica, a prefeitura de Amapá vai assumir algumas responsabilidades para a implantação do polo, como manter a estrutura física, prover internet para o funcionamento do campus, ceder ou contratar servidores para a coordenação do polo, setor de informática e serviços gerais.

A Ueap vai entrar com todo o quadro técnico. Inicialmente os cursos serão modulares com o revezamento de professores, de acordo com as disciplinas das grades curriculares.

 

Compartilhamentos