Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um menor de idade que sobreviveu a uma emboscada numa região de difícil acesso da comunidade do Abacate da Pedreira, área ribeirinha que ainda pertence a Macapá, denunciou os agressores, e um deles foi preso por agentes da 7ª Delegacia de Polícia, na zona norte. A Justiça chegou a decretar a prisão de três envolvidos, mas dois deles conseguiram escapar do cerco policial.

A tentativa de homicídio ocorreu no fim de agosto do ano passado, na saída de uma festa que ocorria na comunidade. No caminho para casa, a vítima, que é menor, foi atingida com um tiro de espingarda pelas costas. Pensando que ele havia morrido, os agressores fugiram.

O rapaz foi socorrido e levado até o Hospital de Emergência de Macapá. Semanas depois, após receber alta, a vítima procurou a 7ª DP do Novo Horizonte, para informar que estava sofrendo ameaças.

“Eles estariam ameaçando, já que a vítima não veio a óbito e diziam que iriam terminar o serviço”, explicou o titular da 7ª DP, delegado Abraão Almeida.

Armamento apreendido. Fotos: Olho de Boto

Sabendo que se tratava de suspeitos armados, o delegado pediu à Justiça a emissão de mandados de prisão e de busca e apreensão. O local é muito distante.

“A gente teve que usar via terrestre e fluvial para chegar aos imóveis”, lembra o delegado que participou da operação.

Os dois comparsas conseguiram fugir quando perceberam a chegada dos policiais civis. O terceiro, como morava longe da casa dos outros acusados, não percebeu a aproximação e foi surpreendido.

Na casa de Uelisson Ferreira de Carvalho, de 32 anos, o “Xixú”, os investigadores apreenderam uma espingarda calibre 36, e munições de calibres diferentes, além de uma arma de ar comprimido adaptada. Na casa dos outros comparsas a equipe achou uma espingarda calibre 28.

Delegado Abraão Almeida (boné vermelho) com equipe de investigadores que cumpriu os mandados

Xixú e o armamento foram apresentados na 7ª delegacia. O acusado foi encaminhado direto para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) por estar com a prisão preventiva decretada.

A vítima alegou que foi emboscada por ter recusado uma oferta de dinheiro para assumir um crime. Mas a polícia já sabe que este ano houve uma briga entre os envolvidos e a vítima, inclusive com lesão corporal produzida por facada. O caso continua sendo investigado.

Compartilhamentos