Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O desfile das escolas de samba do Amapá para o Carnaval 2018 continua incerto. A atual campeã da última disputa ocorrida em 2015, Piratas da Batucada, informou que não vai participar do desfile, se vier a acontecer. A escola alega falta de planejamento da Liga das Escolas de Samba (Liesap) para a organização do evento.

“A gente tomou a decisão [de ficar fora do desfile] porque não temos mais prazo e a Liga não assinou com nenhuma escola sobre algum investimento que possa entrar, seja público ou privado, e, hoje, faltam 98 dias para o carnaval. Protelamos o máximo, conversamos com o presidente e não tem nenhuma garantia de que vá acontecer o espetáculo”, falou o presidente da agremiação, Marcelo Zona Sul.

Marcelo Zona Sul, presidente do ‘Piratão’ diz que escola está fora Foto: Arquivo

O Carnaval 2018 será no dia 11 de fevereiro e as escolas de samba precisariam de pelo menos seis meses para se preparar para o evento. A primeira reunião que definiu um plano de trabalho para a realização do evento aconteceu no dia 28 de outubro, com representantes da Liesap, Conselho de Cultura, representantes das escolas de samba e parlamentares.

No encontro, representantes encaminharam uma proposta para reunir, além da Secult, a Secretaria de Estado do Turismo, Secretaria de Trabalho e empreendedorismo (Sete) e Secretaria de Comunicação, ainda esta semana. Não houve definição para a realização do evento.

Segundo a vice-presidente da Liesap Aracilene Monteiro, ainda é necessário aporte do governo para a realização do desfile.

“A gente não tem nenhuma proposta do governo, se tem ou não tem [recursos]. A proposta que saiu de lá da reunião era para que uníssemos esses quatro secretários para tentarmos uma conversa com o governador, para saber a possibilidade de investimento”, falou Aracilene.

A Liga afirma que está correndo atrás de outros investidores, além do governo, e que ainda não descartou a possibilidade de que os desfiles aconteçam.

“Não é que não vai acontecer, nós estamos atrás de outros investidores”, reforçou a vice-presidente.

Compartilhamentos