Compartilhamentos

O objetivo da 51ª Expofeira do Amapá é mostrar as potencialidades econômicas do Estado, exibir produtos serviços, atrair novos empreendimentos, e financiar a expansão de empresas. Um dos espaços mais visitados, principalmente no setor primário, é a mini fazenda.

Dentro desse espaço, investidores e visitantes podem ver o que já está sendo produzido e o que ainda pode ser produzido.

Técnicos que mostrar as vantagens da produção orgânica

Técnicos que mostrar as vantagens da produção orgânica

Espaço reúne várias culturas

Espaço reúne várias culturas

A produção orgânica de hortaliças, por exemplo, apesar de viável, ainda recebe poucos investimentos. E é isso que os extensionistas querem mudar.

O técnico do Instituto de Extensão Rural do Amapá (Rurap), Daniel Santos, explica para os visitantes de que forma a produção funciona.

Técnico orienta visitantes

Técnico orienta visitantes

“Nesse tipo de plantio nós utilizamos o adubo orgânico que é composto por uma mistura de caroço de açaí e terra preta. Não é utilizado nenhum produto químico e é isso que queremos mostrar para os produtores que cultivam hortaliças no Estado, de que esse tipo de cultivo é viável e o custo é bem mais baixo do que aquele que utiliza produtos químicos”, defendeu.

Suinos....

Suinos….

 

...e criação de aves estão entre os potenciais em exposição

…e criação de aves estão entre os potenciais em exposição

 

Equinos de várias raças

Equinos de várias raças

No espaço da mini fazenda, as pessoas podem conhecer não só esse tipo de produção, mas também aprender sobre a criação de suínos, alevinos, piscicultura, criação de cavalos e plantação de soja, feijão e milho.

Animais de alta linhagem são atrações

Animais de alta linhagem são atrações

Ao lado da mini fazenda está a exposição de gado, lugar onde se encontram pecuaristas de outros estados e do Amapá, como Jaime Henrique Ferreira (foto de capa) , que levou gado de alta linhagem para a exposição.

Um dos acessos para os crurrais

Um dos acessos para os crurrais

“Nós estamos trabalhando com gado nelore para melhoramento genético. Sou criador e comercializo animais há 12 anos. Estamos estabelecidos na Colônia do Matapi. Hoje nós estamos com 113 cabeças destinadas só ao melhoramento genético”, disse Jaime.

Curral bastante visitado

Curral bastante visitado

Compartilhamentos